Entenda o conceito de uma fintech e os desdobramentos positivos do uso da tecnologia nos bancos e instituições do setor financeiro!

Ninguém gosta de ir ao banco, enfrentar filas e passar horas refém da burocracia complicada dessas instituições. Talvez esse seja uma das razões que faz das fintechs empresas tão importantes atualmente.

A palavra tem origem inglesa e é uma junção dos termos financial e technology. Refere-se especialmente a startups da área financeira, que inovaram nas soluções oferecidas ao mercado.

Diferentemente das grandes instituições financeiras, as fintechs focam seu serviço em uma área pequena, como contas, cartões, e empréstimos. Assim, a empresa consegue oferecer seus poucos serviços com qualidade e melhorar a satisfação do cliente.

O mais interessante é observar que, nesse mercado, praticamente não existem agências. Tudo é realizado por aplicativos de smartphones ou em plataformas online. A tecnologia tem um papel importantíssimo no surgimento das fintechs e também se mostra capaz de impactar todo o mercado financeiro.

Tecnologia no mercado das fintechs

O profissional do setor financeiro atualmente precisa de muitas habilidades. A tecnologia facilita muito a vida desse profissional, torna suas decisões mais assertivas e também melhora a qualidade do serviço oferecido pelas fintechs.

Diversas ferramentas vêm ganhando espaço nesse mercado, como você verá a seguir:

Cloud Computing

Pegue o cloud computing como um dos primeiros exemplos. Tais serviços podem ser pagos ou gratuitos e oferecem soluções para problemas variados da empresa financeira.

É possível criar um local para armazenar dados com segurança e praticidade, por exemplo. Existem também os serviços de cloud que oferecem softwares e outras soluções online, sem a necessidade de instalação ou download.

Robótica e inteligência artificial

Robôs e tecnologias com Inteligência Artificial (IA) parecem algo que só se veria em filmes de ficção científica ou em uma indústria na Coreia do Sul. Na verdade, a robótica é uma realidade em diversos setores da Economia, inclusive no financeiro.

Suas inovações permitem implementar a automação em transações e serviços financeiros, evitando erros comuns aos humanos. Essa redução de erros significa menos dores de cabeça para as empresas e também para seus clientes.

Vale a pena mencionar, ainda, a inserção da computação cognitiva no setor financeiro. Junto do machine learning, essas novas tendências de mercado fazem com que computadores se tornem capazes de realizar análises e processos complexos sem auxílio humano.

Essa tecnologia ajudaria, por exemplo, a analisar dados econômicos prévios para indicar futuras opções de investimento. A intenção é ter máquinas que consigam aprender cada vez mais com suas “experiências”.

Tecnologias interativas de visualização

Ter mais tecnologia à disposição normalmente resulta em aumento na coleta de dados que precisam de análise. Nem sempre isso é fácil.

Pegue o exemplo do big data, que precisa de processadores com grandes capacidades para conseguir analisar uma fração de seus dados. Muitas empresas financeiras vêm usando tecnologias interativas que ajudam na visualização e análise de bancos de dados extensos. Elas são complementares a plataformas de business intelligence e analytics.

Por meio dessas tecnologias, é possível criar gráficos interativos e avançados que melhoram a visualização e compreensão de dados. Esses, por sua vez, contribuem para a tomada de decisões.

A base para decisões assertivas

Com tanto auxílio tecnológico e informações para utilizar, fintechs e profissionais da área financeira, em geral, podem deixar de confiar na intuição. As ferramentas apresentadas nesse artigo e muitas outras amparam decisões mais confiáveis. Assim, a empresa consegue melhorar sua eficiência e ter menor subjetividade nas políticas adotadas.

Só para dar um exemplo, algumas fintechs investem em análise de dados das redes sociais de seus clientes. Em vez de realizar somente uma análise de crédito para aprovar o empréstimo, é possível usar dados de redes sociais para avaliar seu perfil de comportamento. Dá para entender se esse é um cliente de risco que não deveria receber o crédito ou um perfil empreendedor.

Soluções tecnológicas para o mercado financeiro

Uma fintech precisa de ferramentas que ofereçam alta capacidade de processamento para análise de dados e a melhor segurança possível. A Lenovo busca oferecer tudo que esse setor precisa para continuar trabalhando com eficiência e garantir a qualidade dos serviços para seus clientes.

A recomendação é usar os computadores ThinkCentre Série M, uma linha extra segura para armazenamento e análise de dados críticos, transações eletrônicas e comunicações online.

Esses desktops compactos contam com as melhores ferramentas de segurança da indústria para gerenciar de forma centralizada as senhas de hardware e prevenir o roubo de dados e o uso não autorizado de dispositivos de armazenamento. Além disso, possuem um módulo de plataforma confiável (TPM), que criptografa as informações do disco rígido.

Está procurando mais conteúdo relevante sobre tecnologia e segurança? Acesse a página da Lenovo para PMEs e não perca as nossas novidades!